21 de maio de 2015

Delegado afirma que negligência com a segurança causou morte de funcionário público em Zortéa

A Polícia Civil informou que os primeiros indícios apontam negligência com equipamento de segurança como causa do deslizamento de terra que levou a morte do servidor público Luciano da Cruz, de 35 anos, que trabalhava em uma obra de saneamento básico no centro de Zortéa.

O acidente completará dois meses neste domingo, dia 24. A Polícia instaurou inquérito para investigar as causas da morte e apontar os responsáveis.

Em entrevista concedida com exclusividade ao departamento de Jornalismo da Rádio Capinzal, o delegado Lucas Fernandes da Rosa confirmou que já ouviu sete pessoas, entre elas, o Secretário de Obras do Município. Embora não tenha recebido o laudo do IGP (Instituto Geral de Perícias) tudo indica que houve negligência com relação à segurança da obra.

“Estamos ouvindo todas as pessoas que estiveram trabalhando na obra no dia dos fatos para que expliquem quanto à existência ou não de equipamentos de segurança. O laudo da perícia será importante para o andamento da investigação” destacou o delegado. O policial não descartou uma análise técnica de engenheiros no intuito de esclarecer sobre a recomendação no que diz respeito aos equipamentos de segurança necessários e, se o trabalho estava sendo realizado dentro dos padrões exigidos. A partir desta analise será possível indicar os responsáveis pela fiscalização no uso de equipamentos de segurança.

Conforme o delegado, o responsável será indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. A pena para esse tipo de crime varia de 1 a 3 anos de detenção e ainda aumento de um terço da pena por omissão de cautela no exercício da profissão.


(Rádio Capinzal)




Comentários
0 Comentários