26 de novembro de 2014

Mulher conhecida como 'viúva-negra' é presa suspeita de matar 4 maridos


Marli Aparecida Teles de Souza, 46 anos, anos foi presa na manhã desta terça-feira (25) em Caçador, no Oeste catarinense, sob suspeita de matar quatro maridos em 14 anos para se beneficiar do seguro de vida deles. Devido aos crimes, ela ficou conhecida como 'viúva-negra'. O filho dela, de 21 anos, também foi detido por suspeita de envolvimento no último crime, contra o próprio pai.

Segundo o delegado Fabiano Locatelli, a investigação começou há cerca de 4 meses, após a morte de um homem de 60 anos, ex-marido e pai do filho dela. Conforme o relato, ele foi encontrado morto dentro de uma caminhonete na SC-350 em 25 de junho deste ano depois de supostamente sofrer um infarto.


O acidente teria sido provocado por uma saída de pista e o carro entrou em um matagal. Quase 20 dias depois da suposta colisão, a polícia recebeu uma denúncia anônima informando que a vítima havia feito dois seguros de vida no valor de R$ 1,26 milhão cujo filho era o beneficiado.

Com base nas informações, a polícia pediu uma nova análise do sangue e da urina do homem. O laudo apontava vestígios de substâncias químicas que, segundo o delegado, ele não havia feito uso anteriormente. O produto havia sido comprado em uma farmácia do município, informou.

Após investigações, a polícia descobriu que a vítima havia morrido na noite anterior na casa da mulher. O corpo dele teria sido levado por ela e pelo filho para o matagal às margens da SC-350 e colocado na caminhonete, simulando um acidente de trânsito - arquitetado, de acordo com Locatelli, meses antes.

Outros crimes

A polícia, então, ligou o caso com um fato ocorrido no ano anterior, em que Marli foi beneficiada pelo seguro de um namorado, morto em circunstâncias suspeitas. O delegado disse que ela até sacou o dinheiro.

Locatelli investiga ainda outras duas mortes de ex-companheiros dela, ocorridas em condições semelhantes. A mulher e o filho foram encaminhados para o Presídio de Caçador.

Os dois serão indiciados por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e meio insidioso e cruel; corrupção de menores, já que envolveu um adolescente no último crime; fraude processual por forjar cena do acidente; e tentativa de estelionato.

Fonte: G1/SC




Comentários
0 Comentários