26 de junho de 2013

Restauração da rodovia entre Tangará e Campos Novos começa nos próximos dia

Antiga reivindicação da população, a obra de restauração da SC-135, trecho que liga os municípios de Tangará e Campos Novos, no Meio-Oeste, deve começar nos próximos dias. O deputado Romildo Titon (PMDB) comemorou o fim da novela durante encontro com o secretário de Infraestrutura do Estado, Valdir Cobalchini (PMDB), na última terça-feira, dia 25. “O secretário ligou na minha frente para a empresa vencedora Planaterra e dispensou a ordem de serviço. Já autorizou o início das obras, já que se encerrou o prazo para o ingresso de recursos”, ressaltou Titon, que ajudou a articular a restauração. A empresa também será responsável pela conservação da rodovia e irá realizar uma “Operação Tapa Buraco” para amenizar a situação.

Para a obra de revitalização e aumento de tráfego de 43 quilômetros da rodovia será investido R$ 44 milhões.

Cobalchini  ressaltou a qualidade da obra. “Será uma nova rodovia. Ampliada, com acostamento e terceira faixa, aumentando a capacidade de tráfego”, disse. 

Dentro de um ano e meio, a rodovia deve estar concluída auxiliando na segurança e desenvolvimento da região. A via se caracteriza por ser uma importante ligação entre corredores rodoviários de Santa Catarina, contribuindo para o escoamento da produção agropecuária, com destaque para os suínos, grãos, frango e leite. Para se ter ideia da importância da rodovia, em Ibiam, que se localiza entre Tangará e Campos Novos,  são produzidos 250 mil sacas de grãos anualmente, e a produção é escoada para as cooperativas de Campos Novos por meio dessa estrada.

Asfaltamento entre Capinzal e Barra do Leão também está garantido

O deputado Romildo Titon também tranqüiliza a população e garante a obra de asfaltamento do acesso entre Capinzal e o Distrito da Barra do Leão, no interior de Campos Novos. “A obra não irá parar. O recurso do BNDS está garantido”, destacou o secretário Valdir Cobalchini, em encontro com o deputado Titon, que também articulou a obra, que custará mais de R$ 9 milhões. A restauração é fundamental para o escoamento da produção da região e como via turística que dá acesso ao Termas Leonense, na comunidade de Barra do Leão.


Comentários
0 Comentários